Ads Top



Leia ao som de:
THE BOXER REBELLION - SPITTING FIRE


Por muitas vezes, a vida não deixou que ela dissesse ‘Adeus’ pela última vez. No entanto, outras vezes o último adeus até se concretizou, mas não da forma como ela imaginava que iria acontecer. E não estou me referindo somente àquele adeus antes da morte. Não mesmo.


Ela teve aquele amor de quem se separou e não teve como se despedir direito. Sabe aquele amor, que vez ou outra ainda causa um pouco de dor, que você deixou ir pra que pudesse voltar a sorrir? Então, ela teve que enfrentar essa barra e ficou fragilizada, foi maltratada por uma tonelada dos mais variados sentimentos.

Quando ela já não tinha mais paciência, mais forças pra suportar aquilo tudo, pra se defender de cada pancada que vinha todo santo dia, quando ela mais chorava do que sorria, quando o último adeus foi um olhar, alguma frase gritada ou uma mensagem de texto meio acovardada.



Ela não ficou satisfeita com a situação, mas soube aceitar, soube também dizer “não” ao seu coração que, às vezes, parecia gostar de sofrer, que insistia em querer voltar. Porém, ela não poderia tentar e insistir outra vez com um “homem” que nem mesmo tinha coragem pra terminar cara a cara. Ela já tinha maturidade suficiente pra reconhecer um menino disfarçado de homem.

Ela teve seu coração maltratado de diversas formas, mas nem por isso sucumbiu ao ódio, à loucura ou ao desespero. Mesmo já tendo sentido muito medo, ela sabia que nem todos os caras eram iguais, como dizia aquela velha máxima.



Ela também sabia que mesmo o mundo estando saturado de covardes e canalhas, ainda existia aqueles que tinham a coragem de amar e de serem amados sem medo de serem rejeitados ou algo do tipo. Aqueles que amam sem pensar demais, aqueles que simplesmente amam e não voltam atrás.

Ela deixou todas aquelas histórias, todo aquele sofrimento e todas aquelas decepções no passado. Claro, tudo lhe serviu de aprendizado. Afinal, coração que não leva pancada, dificilmente amadurece. E ela continuou.

Hoje, não precisa mais encontrar outra metade para completá-la. Não mesmo. Ela já é inteira, do jeito dela, mas é. O que ela precisa é de alguém que também seja inteiro. Porque, dessa vez... ah, dessa vez ela quer transbordar!










- Allison Christian Freitas

Para me seguir no facebookclique aqui





© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO AUTOR DO TEXTO
Tecnologia do Blogger.