Ads Top







Leia ao som de:
DAMIEN RICE - DELICATE


Hoje, ela perguntou qual era o meu problema.


Bem, tive vontade de dizer que era ela. Mas vi que não valia a pena dizer a conclusão de uma análise tão precipitada e que fora influenciada pela chateação que sentia no momento, só pra que talvez ela se sentisse mal, culpada.

“Pra que correr o risco de perdê-la por bobagem?”

Mas se bem que não foi uma análise tão precipitada assim. Talvez ela não seja o problema, mas o "problema" está nela.

Ela se deixa levar muito fácil; confia demais nas pessoas, na essência do que cada um pode ser.


E isso, às vezes, traz certo peso emocional sobre ela, que prefere dar o benefício da dúvida a não confiar logo no primeiro contato. Ela tem essa inocência de garota regendo o coração, que é forte, apesar de ser mole.

O problema, na verdade, sou eu e esse meu coração estúpido que quer guardá-la de tudo o quanto for ruim. Ela que se acha tão independente, tão mulher, mas no fundo é só uma menina pedindo a um menino que a ame sem medidas.


Ela tem essa facilidade de esquecer, de perdoar, mesmo que inconscientemente, o que fazem de ruim contra ela. Ela tem aquele olhar de quem quer ajudar. Um olhar sem mistério, que não é sério, mas que acima de tudo, é sincero.

O problema é que eu a amo tanto que às vezes quero protegê-la demais. Sei que isso é errado, mas quando se ama, nós queremos dar ao outro um pouco de paz.

No entanto, reconhecendo meu erro, decidi deixá-la livre. Afinal, amor, quando verdadeiro, deixa livre mesmo, até quando se tem um pouco de medo.





- Allison Christian Freitas


Imagem de capa: "Before Sunrise"





© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO AUTOR DO TEXTO.
Tecnologia do Blogger.