Ads Top


Leia ao som de: 
KEATON HENSON - SWEETHEART, WHAT HAVE YOU DONE TO US

  Você nunca soube das cartas rabiscadas que eu desisti de te entregar. Você não sabe das várias declarações idealizadas que eu nunca realizei. Você não faz ideia da quantidade de “eu te amos” que eu evitava falar durante o dia por você acreditar que isso poderia banalizar nosso amor.


Você não sabe – nunca soube – o quanto eu te amei. Você sempre achou que sabia. Mas não, acredite, você nunca chegou nem perto de imaginar o tamanho do meu amor por você. Disso eu tenho certeza.

E pensar que você já chegou a me pedir provas de amor. Ah... Eu lutei por você até não conseguir mais, ultrapassei todos os meus limites, e depois disso tudo, já exausto – mas ainda te amando pra caralho – eu te deixei ir. Quer maior prova de amor que essa?

Acho que algumas coisas foram feitas pra não durar mesmo, sabe? Como se já estivesse tudo programado pra acontecer daquele jeito: Início e fim. Sem meio. Sem “mas”. Sem mais. Destino...

Você acredita em destino? Eu estava acreditando cegamente há dois minutos. Agora, pensando melhor sobre o que escrevi no parágrafo anterior, acho que não acredito muito nessa história de que “algumas coisas foram feitas pra não durar”. Talvez algumas coisas ainda aconteçam por estarem destinadas a acontecer. Talvez. Mas acredito que quase nada acontece por acaso ou destino. E nós termos nos afastado e não lutado um pouco mais por nosso amor não foi acaso. Às vezes nós insistimos em escolher acreditar que certas coisas aconteceram por puro decreto do destino, apoiados na esperança de aliviar o peso na consciência por estarmos fazendo a escolha errada.

Talvez tenha sido acaso nós termos nos esbarrado, talvez tenha sido por acaso que nossos olhos se encontraram e nossos corações se ligaram, resultando em mais dois pobres mortais apaixonados.

Talvez tenha sido destino, eu ter te amado. Talvez. Talvez tenha sido mera obra do acaso ou destino, você ter sido a primeira a me amar mesmo eu ainda sendo um ingênuo “menino”.

Talvez tudo isso tenha sido por acaso. Mas nós termos nos afastado e não lutado um pouco mais por nosso amor não foi acaso. Não foi destino.

Mas talvez tenha sido melhor assim. Se foi uma decisão errada ou não termos desfeito "nosso nós", saiba que você despertou o melhor de mim. E eu sempre serei grato por isso.



P.S. E sim, eu ainda te amo.



- Allison Christian Freitas





© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO AUTOR DO TEXTO.
Tecnologia do Blogger.