Ads Top


Leia ao som de:
Josh Ritter - Change of time


Eu sei que sempre vai doer
olhar pra você.
Eu sei que vai doer
às vezes, ter vontade de voltar no tempo e mais uma vez reviver ao seu lado todos os nossos momentos.

Eu sei que vai doer
me conter, não mais dizer que amo você.

Eu sei que vai doer não te dar os parabéns no seu aniversário, não receber o teu “abraço de presente” no meu, quando o que mais vou querer de presente é você. Fingir que tá tudo bem em pouco tempo, que tá tudo numa boa. Vai doer.

Eu sei que vai doer,
você sabe que vai,
nós sabemos,
eles sabem.

É, todos sabem. Eles diziam que nós tínhamos “algo especial”. E nós, de fato, tínhamos. Tivemos.


E eu sei que vai doer
sempre que eu pensar em você.
Vai doer
te olhar nos olhos ao longe
e lembrar tudo o que vivemos.
Eu sei que vai doer.

Mas eles dizem que
eu preciso seguir em frente.
Eu nem queria,
mas parece que você
tá tentando, então eu vou tentar também.
Mas eu sei que vai doer
não poder ligar pra você.
Eu sei que vai doer
inúmeras madrugadas sem “boa noite”,
sem um "eu te amo"
antes de pegar no sono.
Talvez, às vezes, eu até tente te ligar por engano.
“Eu quero saber o que está acontecendo com você...”
Porra, vai doer.
Eu sei que sempre vai doer.
Eu não queria isso pra gente.
Mesmo tendo tudo contra nós, eu só esperava um pouco mais de você, sabe? Onde ficou aquele “para sempre”?
É, talvez não tenhamos insistido o suficiente.
Talvez pudesse ter dado certo.
Mas parece que, na vida, às vezes nós não temos escolha.

Parece que enquanto você tenta escrever sua história perfeita, a ponta do lápis quebra, você erra, invade algumas linhas abaixo e tenta consertar. Com uma borracha, tenta apagar aqueles riscos que deveriam ser palavras, mas acaba rasgando a folha e borrando tudo.

A vida é cheia de surpresas desagradáveis. E nós rasgamos nossa folha, borramos nossa história.


E isso sempre vai doer. Não tem essa de esquecer. Jamais alguém conseguiu esquecer. Não se esquece dum amor perdido, mas se aprende a viver com a dor que ele causa, que ele causou. Alguns até dizem que é possível gostar dessa dor com o tempo. Eu sei, parece insano. Mas o amor é um lugar sem saída. Não oferece muitas opções.

Acredite em mim, quando é verdadeiro você não esquece. Eu não esqueci. Apenas aceitei que perdi, e isso talvez seja o suficiente.

Eu aprendi a guardá-lo num canto do peito cercado por uma parede de vidro blindada, que é pra eu poder olhar de vez em quando e lembrar o quão imaturo já fui, lembrar o que aprendi com você. Lembrar que não, não foi perda de tempo ter ficado ao seu lado, mas fez parte do aprendizado. E se der saudade, a blindagem, que é à prova de todos os meus sentimentos, não vai me deixar voltar atrás.

Vai doer, acredite.
Eu sei que sempre vai doer.
Mas um dia, eu sei que vai doer pouquinho, sabe? 

Depois de um tempo, vai ser só de vez em quando.
Eu sei que vou aprender.
Mas saiba: Dói amar você.




- Allison Christian Freitas

Para me seguir no facebookclique aqui






© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO AUTOR DO TEXTO
Tecnologia do Blogger.